cabecalho

Tradutor

ptenfrdeelites

Placard Sindical

placard sindical site

Saúde e Actividades Diárias

Damos conhecimento do manual emitido pela DGS sobre Medidas Gerais de Prevenção e Cont [ ... ]

ADAPTAR OS LOCAIS DE TRABALHO / PROTEGER OS TRABAL...
ADAPTAR OS LOCAIS DE TRABALHO / PROTEGER OS TRABALHADORES

Divulgamos o documento Informativo da ACT que contem 19 recomendações de protecç [ ... ]

Publicados

Informação por email

Subscrever

Se quiser receber a informação do Sindicato por e-mail, inscreva-se aqui

Protocolos

logo medio1

Trabalhadores pertencentes a grupos de risco

Mascara protecçãoA IP é uma das empresas que tem de respeitar as recomendações das autoridades e levar à prática todas as medidas onde se incluem obviamente a protecção dos trabalhadores integrados em grupos de risco, evitando que estejam expostos a uma eventual contaminação.

Enviámos um ofício à IP no sentido de relembrar o que está nos decretos de lei do governo, presidência, DGS, onde é referido ser prioridade prevenir a doença, conter a pandemia, salvar vidas, tomando todas as medidas essenciais, adequadas e necessárias para, proporcionalmente, restringir determinados direitos para salvar o bem maior que é a saúde pública e a vida de todos onde os contactos entre pessoas, que constituem forte veículo de contágio e de propagação do vírus, deve manter-se ao nível mínimo indispensável.
Estando a empresa sujeita a um especial dever de cuidado sobre os seus trabalhadores, que deverá ser reforçado sempre que estes integrem os referidos grupos de risco, cabendo-lhe encontrar forma de os proteger, concretamente evitando que prestem a sua actividade profissional, até porque a Empresa, com a obrigação imposta pelo Governo de adequar a oferta à procura e às necessidades dos operadores de transporte, que reduziu drasticamente a oferta, viu a necessidade de trabalhadores ao seu serviço diminuída.
O SNTSF tem tido conhecimento que a avaliação dos trabalhadores que podem ficar em caso de quarentena por integrarem os denominados grupos de risco não tem sido efectuada por profissionais de saúde ou sequer pelo serviço de medicina no trabalho da Empresa, mas sim pelas chefias intermédias, sem qualquer competência, legal ou profissional, para o efeito.
Esperamos que a presente situação seja alterada de forma a que os trabalhadores sejam avaliados por um profissional de saúde/medicina no trabalho, sempre que a Empresa tenha dúvidas sobre a sua capacidade para desempenharem as suas funções sem que seja colocada em risco a sua segurança e saúde.

Videos

Ficha Inscrição

Sindicaliza teFicha de inscrição de associado

Ponto Seguro

ponto seguro